logo_ASRC.png
SE VOCÊ ESTÁ EM NOSSO SITE COM CERTEZA QUER MELHORAR O ENTENDIMENTO SOBRE O COMPORTAMENTO DOS CÃES!

Foi em março de 1999. As pessoas estavam em pleno alvoroço com a chegada do ano 2000.

Afinal seria o último ano na opinião de especialistas da vida. No entanto, as famílias entendem mais profundamente os aspectos da vida. Como assim Aguinaldo? Simples! Ninguém escolhe ter um filho com síndrome de down, ou autista, seja lá o que for. A questão é que por indicação do psiquiatra e muito amigo da família, um cão foi adicionado ao sistema familiar. Por ser absolutamente uma recomendação médica, consideraram um cão de porte grande e assim foi. Procuraram um criador sério e muito responsável e os trâmites seguiram em ordem adequada.

O cão foi para a casa da família e em pouco tempo já estava brincado com a criança. Com o passar do tempo, o cão mesmo sendo tratado com carinho e profundo respeito pelos familiares, seguia apresentando um certo grau de nervosismo, reatividade e até mordidas em determinadas situações. A família percebeu o desvio de comportamento e conversaram com o médico e sobre todas as possíveis situações perigosas no futuro. No entanto, a criança seguia apresentando melhora considerável, como se o cão absorvesse certas questões da criança e expurgava nas manifestações comportamentais inusitadas. A família continuou apreensiva e por receio de acidentes graves que o cão poderia causar, decidiram doar e tiraram o cão do contexto familiar. Ignorando por completo os sentimentos da criança, a família decidiu pelo mais fácil, “excluir”. Em poucos dias a criança começou a ter convulsões ficando cada vez mais grave. A causa era inexplicável. Foi quando o Médico Psiquiatra durante uma consulta perguntou como o cão estava. Os pais se entre olharam e confessaram ter doado o cão por medo de acidentes. O Médico explicou que o cão era o remédio, não o problema. Sabiamente, o médico psiquiatra solicitou que os pais pegassem o cão novamente e contratassem um adestrador. Fizeram um canil na residência e retomaram o processo de adaptação. Mas, como o cão foi excluído no primeiro momento, o comportamento agressivo se tornou mais forte e evidente. O cão latia ferozmente e quase atacava o adestrador. O adestrador quase foi mordido inúmeras vezes – mas ele tinha uma missão! Precisava resolver o problema! Como não tinha todos os recursos necessários, orientou a família a contratar um adestrador mais experiente e decidiu acompanhar o processo. Assim foi feito. O adestrador usou as melhores técnicas de adestramento – nada mais nem menos que R+ R- / P+ P- . Também utilizou e.collar para chegar no resultado que precisava. Foi um sucesso. A única coisa que a família precisava fazer era apertar um botão e o cão estava sob controle. A vida da família voltou ao normal. As convulsões cessaram. O cão foi integrado ao convívio familiar – graças aos adestradores que se propuseram a treinar corretamente o cão – sem usar o politicamente correto – mas usar a ciência como recurso. O cão viveu com a família e a criança até sua adolescência sem problemas de agressividade. O cão partiu com 16 anos deixando uma marca extremamente positiva na vida da família e principalmente na vida da criança – agora um homem formado! Veja, estamos em 2022, cercados de ideologias e influenciadores digitais que se apresentam como solução para os reais problemas da vida. No entanto, os ideologistas e influenciadores digitais não entendem nada sobre a vida real. Vivem no virtualmente correto. Querem seguidores e mais seguidores. A grande verdade é que a vida real não tem espaço para eles, por isso a truculência nas redes sociais. Se você ama de verdade, seja realista e comece a entender a vida real – não a virtual. Na vida real os cães fazem parte da existência humana. As técnicas utilizadas para adestrar cães são aplicadas na vida real. No virtual você não aplica nada, portanto não precisa de nada. Apenas palavras vazias e sem sentido. Você sabia que é possível comprar seguidores nas mídias sociais? Sabe aquele influenciador digital que você segue? Veja o número de seguidores que ele tem e compare com os comentários e engajamento nas publicações com o número de seguidores. Você também deve saber que é possível comprar curtidas e comentários? Sim! Então, a vida real é totalmente diferente da virtual. Se você realmente ama os cães, certifique-se que segue pessoas da vida real. A razão principal da maioria dos influenciadores no mundo do bem-estar animal é apenas ganhar dinheiro. Não existe amor na causa. Amor de verdade, foi demonstrado pelos adestradores que resolveram o problema do cão e da família. Foi demonstrado pelo Médico Psiquiatra. Os pais da criança se propuseram a entender a vida real. Assim como o novo milênio seguiu seu curso e o mundo não acabou na virada de 1999 para 2000, ao vida real seguirá seu curso e em pouco tempo o virtual estará cheio de pessoas fracassadas e frustradas, pois a verdade sempre vence. Principalmente por sabermos que a verdade é independente de tudo. A verdade está em uma esfera independente e nada nem ninguém conseguirá burlar a lei da verdade. Cedo ou tarde a verdade se apresentará para cada ser humano na face da terra.

Seja sábio – viva a vida real!

Aguinaldo Diniz Trainer NLP